(placeholder)

Para cima

Batalha Naval de Lemnos

(18 de Janeiro de 1913)

Após o Império Otomano ter perdido algumas ilhas no Mar Egeu para a Grécia durante a primeira fase da guerra em 1912 e a derrota na Batalha de Elli, a Marinha Otomana tentou travar o progresso da Marinha Grega com um ataque sobre os navios ancorados no porto de Moudros, em Lemnos.


No entanto, a esquadra encontrou o cruzador GEORGIOS AVEROF em Lemnos, o mesmo navio que os já tinha derrotado na Batalha de Elli. A Marinha Otomana desenvolveu então um plano para atrair o cruzador grego através de um raid com um cruzador rápido através do Mar Egeu como isco e assim dividir e enfraquecer a força grega.


De fato, o cruzador otomano  HAMIDIYE conseguiu eludir os patrulhas gregos de  vigia  na zona durante a noite de 13 para 14 de Janeiro de 1913 e afundou um navio de transporte grego junto à ilha em Syros e bombardeou o porto da ilha durante o dia 14.


Esta acção causou preocupação em Atenas, o que levou a que o Governo Grego desse ordem para a frota saísse em busca do cruzador otomano. O Almirante Kountouriotis recusou-se a obedecer por suspeitando de uma armadilha da Marinha Otomana e, em vez disso, fez sair a frota em direcção ao Estreito de Dardanelos.


A força grega do Contra-Almirante Pavlos Kountouriotis era composta pelo cruzador GEORGIOS AVEROF, três velhos couraçados pré-Dreadnought SPETSAI, HYDRA e PSARA e sete contratorpedeiros.


A força otomana do capitão Ramiz Bey incluía três couraçados pré-Dreadnought BARBAROS HAYREDDIN, TURGUT REIS e MESUDIYE, o cruzador MECIDIYE e cinco contratorpedeiros. O cruzador TEVFIK ficou no  Estreito dos Dardanelos e não participou na batalha.

Almirante Pavlos Kountouriotis

(1855-1935)

Na manhã de 18 de Janeiro os patrulhas gregos assinaram a entrada da  Esquadra Otomana no mar Egeu.A Esquadra Grega saiu do porto de Moudros e as duas esquadras encontraram-se a 12 milhas a sudoeste de Lemos.


O tiro entre as esquadras começou às 11h32mn a uma distância de 8.400m


A esquadra grega manobrou para se aproximar dos otomanos, mas o cruzador MECIDIYE e os cinco contratorpedeiros que o acompanhavam retrocederam em direcção ao Estreito dos Dardanelos, onde estava o antigo mas remodelado cruzador TEVFIK.


O cruzador MESUDIYE às 11h50mn sofreu impactos de tiro combinado dos cruzadores gregos HYDRA e PSARA


Às 11h54mn o cruzador GEORGIOS AVEROF atingiu em cheio a torre do cruzador otomano BARBAROS HAYREDDIN, que teve de retirar acompanhado pelo cruzador TURGUT REIS.


Tal como na Batalha de Elli, o cruzador GEORGIOS AVEROF pela sua velocidade e capacidade de manobra perseguiu de forma independente os navios otomanos fazendo fogo de um lado e do outro bordo. A restante esquadra grega fez os possíveis por acompanhar a perseguição.


Às 4h30mn os navios otomanos aproximaram-se do Estreito dos Dardanelos e a perseguição terminou.


Durante a batalha os navios otomanos conseguiram uma excelente cadência de tiro, 800 durante o combate mas sem precessão. Apenas dois tiros acertaram no cruzador grego GEORGIOS AVEROF.


O cruzador otomano sofreu o impacto de 20 tiros, o TURGUT REIS sofreu 17 impactos e o MESUDIYE um grande impacto de 270mm que lhe destruiu a torre central de 150mm.


Esta foi a batalha final da primeira guerra balcânica e forcou a Marinha Imperial Otomana a recuar para dentro do Estreito dos Dardanelos, de onde não voltou a sair até ao fim do conflito. A Marinha Real Grega ficou com o domínio do Mar Egeu.


A confirmação da retirada permanente dos Otomanos do Mar Egeu foi confirmada pelos 1º Tenente Michael Moutoussis e o Aspirante Aristeidis Moraitinis da aviação naval grega, que a 24 de Janeiro de 1913 efectuaram um voo num hidroavião Maurice Farman de cerca de 180km de reconhecimento e conseguiram confirmar a situação naval.



Bibliografia


Erickson, Edward J.; Bush, Brighton C. (2003). Defeat in Detail: The Ottoman Army in the Balkans, 1912–1913. Greenwood Publishing Group.  


Fotakis, Zisis (2005). Greek naval strategy and policy, 1910–1919. Routledge.  


Langensiepen, Bernd; G¸lery¸z, Ahmet (1995). The Ottoman Steam Navy, 1828–1923. Conway Maritime Press.  


Hall, Richard C. (2000). The Balkan Wars, 1912-1913: Prelude to the First World War. Routledge.  


LINK


Batalha de Lemnos


Cruzador TURGUT REIS

Couraçado BARBADOS HAYRETTIN

Cruzador MESUDIYE

Fonte: http://www.navyingallipoli.com/o_battleships.html

Fonte: http://www.navyingallipoli.com/o_battleships.html

Fonte: http://www.navyingallipoli.com/o_battleships.html

Cruzador TEVKIF

http://www.navypedia.org/ships/turkey/tu_bb_assari_tevfik.htm

Cruzador MECIDIYE

http://www.wikiwand.com/en/Ottoman_cruiser_Mecidiye

Cruzador GEORGIOS AVEROF

https://en.wikipedia.org/wiki/Greek_cruiser_Georgios_Averof

Cruzador HAMIDIYE

https://en.wikipedia.org/wiki/Ottoman_cruiser_Hamidiye

Cruzador SPETSAI

https://en.wikipedia.org/wiki/Greek_ironclad_Spetsai

Cruzador HYDRA

https://en.wikipedia.org/wiki/Greek_ironclad_Hydra

Cruzador PSARA

https://en.wikipedia.org/wiki/Greek_ironclad_Psara